Objetivos

Os objetivos do projeto são: (1) estimar a proporção da população brasileira, representada pelas cidades sentinelas, que apresenta anticorpos para SARS-CoV-2; (2) Determinar a proporção de indivíduos com anticorpos que apresentaram infecções subclínicas ou assintomáticas; (3) avaliar os sintomas mais comuns relatados pelos indivíduos positivos; (4) Analisar tendências de tempos comparando três pesquisas consecutivas; (5) Permitir estimativas precisas das taxas de mortalidade por casos, usando a proporção correta de pessoas infectadas; (6) avaliar a aderência às medidas de isolamento; (7) Definir o número necessário de recursos hospitalares de baixa, média e alta complexidade necessários para enfrentar a pandemia, por meio de modelos matemáticos obtidos usando estimativas precisas de prevalência; (8) Permitir o desenho subsequente de estratégias para facilitar as medidas de distanciamento social, com base nas estimativas obtidas de infecções na comunidade.

Configuração e Design do Estudo

Três pesquisas sorológicas repetidas de base populacional serão realizadas nos municípios sentinelas, usando um protocolo baseado nas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS). [9] Em cada estado, será estudada a área urbana dos municípios maiores de cada região intermediária definida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A seleção dos municípios sentinela é justificada pelo pouco tempo disponível e pela disponibilidade limitada de testes de diagnóstico. [9] As três pesquisas serão realizadas a cada 15 dias e a duração da coleta de dados em cada pesquisa será de 3-5 dias (Figura 2).

O esquema amostral consiste em uma amostra probabilística de múltiplos estágios: em cada um dos 133 municípios sentinelas (de todos os estados brasileiros – Figura 3), serão selecionados 25 setores censitários com probabilidade proporcional ao tamanho da população, respeitando a ordem dos setores definidos pelo IBGE. (que começa nas áreas centrais e irradia para a periferia da cidade e distritos da cidade). Os mapas dos setores censitários serão utilizados para realizar uma seleção amostral aleatória de 10 domicílios em cada setor, com base em um ponto de partida aleatório e em um protocolo sistemático para amostragem dos 10 domicílios. Em cada família da amostra, todos os residentes serão listados e sua idade e sexo registrados em uma lista de membros da família. Um dos residentes será selecionado aleatoriamente para testes e entrevistas. Se a pessoa selecionada se recusar a participar, um segundo residente será selecionado aleatoriamente. No caso de uma segunda recusa, a entrevista será encerrada e a família vizinha será convidada a participar. Todas as informações sobre ausências e recusas, feitas pelo residente escolhido ou pelo agregado familiar, serão registradas para permitir a estimativa das taxas de não resposta. Em cada nova pesquisa, a amostragem utilizará os mesmos setores censitários, mas com diferentes domicílios. Em cada pesquisa, serão realizadas 33.250 entrevistas, totalizando 99.750 no estudo completo.

Coleção de dados

A detecção de anticorpos para SARS-CoV-2 será feita pelo Teste de Anticorpo WONDFO SARS-CoV-2, utilizando amostras de sangue para picadas nos dedos. Este teste é baseado no princípio do ensaio imune do fluxo lateral e detecta anticorpos IgG / IgM contra SARS-CoV-2. O estudo de validação realizado pelo fabricante incluiu 596 participantes e estimou uma sensibilidade de 86,4% e especificidade de 99,6%. O Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde comparou os resultados do teste com a reação em cadeia da polimerase com transcriptase reversa (RT-PCR) e encontrou uma sensibilidade de 100% e uma especificidade de 98,7% (https://en.wondfo.com.cn/ produto / wondfo-sars-cov-2-anticorpo-teste-lateral-flow-method-2 /). Em nossa própria validação (enviada para publicação), 64 (77,1%) testaram positivo em 83 indivíduos com resultados positivos de RT-PCR 10 ou mais dias após o diagnóstico inicial. Estimamos a especificidade analisando 100 amostras de soro coletadas em 2012 de participantes do estudo de coorte de nascimentos de Pelotas de 1982 [10] e encontramos 98 resultados negativos. Além disso, Whitman et al [11] avaliaram 10 diferentes ensaios de fluxo lateral e relataram uma sensibilidade de 81,5% e uma especificidade de 99,1% para este teste. Juntando todos esses resultados, estimamos uma sensibilidade combinada de 84,8% (IC95% 81,4%; 87,8%) e uma especificidade combinada de 99,0% (IC95% 97,8%; 99,7%).

Além do teste SARS-CoV-2, do qual será tirada uma foto para controle de qualidade, os participantes serão entrevistados sobre variáveis ​​demográficas, condições médicas relacionadas ao prognóstico do COVID-19 (pressão alta, diabetes, asma, câncer, rim crônico). doenças e doenças cardíacas crônicas), a utilização dos serviços de saúde no mesmo período e o nível de adoção das medidas de distanciamento social (total, parcial, sem adoção). As entrevistas serão realizadas em tablets e os resultados dos testes serão fotografados. Os entrevistadores serão treinados para coletar a amostra de sangue por picada no dedo e realizar o teste de anticorpos.

Para aqueles que apresentam resultados positivos, será avaliada a presença de sintomas potencialmente relacionados ao COVID-19 (tosse, febre, dor de garganta, dificuldade em respirar, palpitações, perda de paladar ou olfato, vômito, diarréia, dor muscular). Nesses casos, todos os membros da família que vivem nos mesmos domicílios também serão testados.

Discussão

O estudo EPICOVID19 fornecerá dados locais sobre parâmetros críticos da pandemia, que podem ser usados ​​pelos tomadores de decisão para projetar e implementar políticas de saúde pública eficazes para mitigar a carga do COVID-19 no país como um todo e em cada estado individualmente. Combinando todas as três fases do estudo, este é atualmente o maior estudo de base populacional sobre a prevalência de anticorpos SARS-CoV-2 no mundo.

Estimativas confiáveis ​​no nível da população são essenciais para o desenho de políticas efetivas de saúde pública. O presente estudo expandirá um estudo existente no estado do Rio Grande do Sul no Brasil [12] para todo o país. No Rio Grande do Sul, os resultados das pesquisas já realizadas demonstraram que a prevalência de anticorpos SARS-CoV-2 ainda é relativamente baixa, possivelmente devido à alta adesão da população do estado às medidas de distanciamento social [13]. Os resultados deste estudo em andamento foram essenciais para a formulação da política recentemente anunciada de combate ao COVID-19 no estado. O estudo nacional fornecerá as mesmas informações para todo o país, contribuindo assim para a elaboração de políticas de saúde em nível estadual e nacional para combater a pandemia.

Referências

  1. Johns Hopkins – Coronavirus Resource Center. https://coronavirus.jhu.edu/map.html. 2020.
  2. No Title. https://covid.saude.gov.br. 2020.
  3. Ogris G, Hofinger C. COVID-19 Prevalence. 2020. https://www.sora.at/uploads/media/Austria_COVID-19_Prevalence_BMBWF_SORA_20200410_EN_Version.pdf.
  4. Gudbjartsson DF, Helgason A, Jonsson H, Magnusson OT, Melsted P, Norddahl GL, et al. Spread of SARS-CoV-2 in the Icelandic Population. N Engl J Med. 2020;:NEJMoa2006100. doi:10.1056/NEJMoa2006100.
  5. Ministry of Health and Welfare (South Korea). Coronavirus disease 19, Republic of South Korea. 2020.
  6. Bendavid E, Mulaney B, Sood N, Shah S, Ling E, Bromley-Dulfano R, et al. COVID-19 Antibody Seroprevalence in Santa Clara County, California. medRxiv. 2020.
  7. Regalado A. Blood tests show 14% of people are now immune to covid-19 in one town in Germany. MIT Technology Review. 2020.
  8. Victora CG. What’s the denominator? Lancet. 1993;342:97–9.
  9. World Health Organization. Population-based age-stratified seroepidemiological investigation protocol for COVID-19 virus infection. World Heal Organ. 2020.
  10. Horta BL, Gigante DP, Gonçalves H, Dos Santos Motta JV, Loret De Mola C, Oliveira IO, et al. Cohort Profile Update: The 1982 Pelotas (Brazil) Birth Cohort Study. Int J Epidemiol. 2015;44:441.
  11. Whitman JD, Hiatt J, Mowery CT, Shy BR, Yu R, Yamamoto TN, et al. Test performance evaluation of SARS-CoV-2 serological assays. medRxiv. 2020. doi:10.1101/2020.04.25.20074856.
  12. Hallal PC, Horta BL, Barros AJD, Dellagostin OA, Hartwig FP, Pellanda LC, Struchiner CJ, Burattini MN, Silveira MF, Menezes AMB, Barros FC, Victora CG. Evolução da prevalência de infecção por COVID-19 no Rio Grande do Sul: inquéritos sorológicos seriados. Cien Saude Colet. 2020. doi: 10.1590/SciELOPreprints.41.
  13. Silveira MF, Barros AJD, Horta BL, Pellanda LC, Victora G, Dellagostin O, Struchiner CJ, Burattini MN, Valim A, Berlezi E, Mesa J, Ikeda ML, Mesenburg M, Mantesso M, Dall’Agnol M, Bittencourt R, Hartwig FP, Menezes AMB, Barros FC, Hallal